Governo lança “pacotão” de investimentos para pesquisas científicas em MS

Ao todo, foram lançados 11 projetos com recursos para áreas de sustentabilidade, indústria e agronegócio

O Governo de Mato Grosso do Sul, lançou nesta segunda-feira (6), o projeto “MS +Ciência”, que destinará R$ 30 milhões em recursos para o financiamento de pesquisas científicas. Ao todo foram lançados 11 chamadas, editais e convênios que beneficiará pesquisadores de programas de pós-graduação e que desenvolvem projetos na área de sustentabilidade, indústria e agronegócio no Estado.

“Não atenderíamos ciência, tecnologia e inovação se o Estado não estivesse com as finanças sólidas. Enquanto vemos o Brasil tirando investimentos da ciência, tecnologia e inovação, Mato Grosso do Sul está colocando. O momento de hoje é para mostrar que acreditamos na ciência e vamos continuar investindo e quem ganha com isso é toda a sociedade. Que venha as boas ideias, porque recursos nós temos”, destacou o governador Reinaldo Azambuja, durante o lançamento do programa.

Os projetos, parcerias e editais serão desenvolvidos por meio da Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia), criando uma conexão entre as governo, universidade e empresas em três principais frentes: capital humano, inovação e pesquisa aplicada com profissionais que estão nas universidades.

Diretor-presidente da Fundect, Márcio de Araújo Pereira (Foto: Kísie Ainoã)
Diretor-presidente da Fundect, Márcio de Araújo Pereira (Foto: Kísie Ainoã)

“Quando se investe em ciência, tecnologia e inovação estamos investindo em desenvolvimento. Vamos oferecer bolsas de mestrado, doutorado, mestrado profissional e pós-doutorado com o objetivo de preparar as pessoas para o futuro. Temos também editais voltado para inovação, como empreendedorismo tecnológico, tendo em vista que as universidades estão crescendo cada vez mais com essas nova realidade de inovação no mundo. Estão previstos também recursos para que as empresas participem dos projetos de inovação com a ajuda de universidades e o governo oferecendo recursos para ampliação de várias startup”, explicou Márcio de Araújo Pereira, diretor-presidente da Fundect.

O titular da Semagro (Secretaria Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, destacou a importância dos investimentos em ciência e tecnologia, que atenderão diversos setores de pesquisa e inovação no Estado. “Não se faz esse programa só com recurso, mas com resultados. Foram lançados projetos inovadores e importantes para o desenvolvimento do Mato Grosso do Sul, como por exemplo, o primeiro edital focado na indústria e de pesquisa relacionados a proteção do pantanal”.

Programas atendidos – Entre os programas lançados está o Fundect Universal 2021, onde serão disponibilizados R$ 10 milhões para projetos de pesquisa e inovação que contribuam para que o estado cumpra os objetivos de desenvolvimento sustentáveis estabelecidos agenda 2030 da ONU (Organização das Nações Unidas), como o de tornar Mato Grosso do Sul um Estado Carbono Neutro até 2030.

O edital “Mato Grosso do Sul para a Indústria” prevê investimento de R$ 4,77 milhões em para empresas que apoiam o desenvolvimento de projetos, produtos, serviços e processos de caráter inovador, novos ou aprimorados. O recurso será composto por R$ 2 milhões do Governo do Estado, R$ 2 milhões do Senai/Sesi e R$ 777 mil do Sebrae-MS.

Já o programa “Fundect Inovatec”, disponibilizará  R$ 337 mil para o desenvolvimento de talentos, acompanhamento e orientação de projetos de inovação oriundos de startups, promoção de ecossistemas e ambientes de inovação e disseminação a cultura do empreendedorismo inovador e de base tecnológica.

Os programas de pós-graduação em 2022 contarão com investimento de R$ 3,312 milhões, em 92 bolsas de mestrado profissional. Outros R$ 3,288 milhões serão destinados a bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorados para programas consolidados no Estado, com conceitos Capes 5 ou 6. Ao todo serão 60 bolsas, 20 de mestrado, 20 de doutorado e 20 de pós-doutorado, atendendo 10 programas de pós-graduação.

O Estado destinará ainda o valor de R$ 600 mil no acordo UFMS– Fundect, para financiar a pesquisadores visitantes recém-doutores na UFMS e no Termo de Cooperação Fundect – Embrapii/UFMS.  Outros R$ 500 mil serão investidos na implementação da Unidade Agrotec, para prospectar e executar projetos, nas linhas de pesquisa de Tecnologia de alimentos, Bioinsumos e Tecnologias para a Sustentabilidade do Agronegócio.

Ainda em parceria com o Sebrae-MS, o governo investirá R$ 2,836 milhões no Plano de Trabalho do Projeto Pró-Pantanal, para elaboração e execução de editais de inovação, chamadas de projetos e concessão de bolsas, além de acompanhamento de empresas beneficiadas pelos editais de inovação dos programas Centelha e Tecnova.

Voltado ao agronegócio, o governo investirá R$ 3 milhões no convênio Fundems/Fundect – Safra 2022, que permitirá a estudos e testagem da eficiência de defensivos, combinados com diversas possibilidades de plantio, no controle dos principais problemas das culturas da soja e do milho no Estado.

Na mesma linha, o convênio Fundems/Fundect – Fundação Chapadão/Safra 2022 terá R$ 1 milhão disponível para o desenvolvimento de um plano tecnológico para a produção de soja e milho, nas condições das regiões norte e nordeste do Estado.

O pacotão de investimentos disponibilizará ainda R$ 350 mil para a criação de protocolos e tecnologias para produção das espécies de peixes nativas de interesse comercial da região pantaneira, seja para consumo ou para utilização como isca viva na pesca profissional e esportiva, desenvolvido através da parceria da UEMS e Embrapa Pantanal.

Os critérios de participação estão definidos através de editais específicos, disponibilizados no site de Fundect: www.fundect.ms.gov.br/

campograndewnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + 7 =