Distribuição de vacina reinicia na 4ª aos estados

Anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na tarde desta sexta-feira; 30 mil doses devem vir para MS

Nova remessa de vacinas contra a covid-19 serão distribuídas aos Estados a partir da próxima quarta-feira (24). O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, nesta sexta-feira (19), a uma comissão da Frente Nacional de Prefeitos. Ao todo, 4,7 milhões de doses serão repassadas pelo Ministério da Saúde e, para Mato Grosso do Sul, pelo menos 30 mil doses devem ser enviadas.

Do total, 2,7 milhões de doses são referentes a CoronaVac, produzidas pelo Instituto Butantan, no Brasil. Os outros 2 milhões são de doses da AstraZeneca.

Conforme a Agência Brasil, ao conversar, por videochamada, com o presidente da entidade, o ex-prefeito de Campinas, Jonas Donizette, e outros nove prefeitos, o ministro afirmou que todo o novo lote será usado para vacinar apenas pessoas dos grupos prioritários que ainda não receberam a primeira dose do imunizante.

“Neste novo momento da campanha, a vacina do Butantan será aplicada em dose única, com o objetivo de ampliar a vacinação e atender ainda mais brasileiros. Com isso, entramos em março com a expectativa de vacinar novos grupos”, disse o ministro à comissão da FNP.

A segunda dose da vacina do Butantan será aplicada de 14 a 28 dias após a primeira, conforme orientação do fabricante, e dependerá dos novos lotes que devem chegar ao país até março.

Para março, a expectativa da pasta é de distribuir outras 39 milhões de doses de vacinas, 21 milhões do Instituto Butantan e 18 milhões da AstraZeneca.

Educação – Em nota divulgada logo após o término da reunião, o Ministério da Saúde afirma que estuda incluir novos grupos entre os já considerados prioritários, com chances de profissionais da educação serem incluídos.

De acordo com Donizette, a medida atende a pedido dos municípios. “O ministro aceitou nossa sugestão de priorizar o pessoal da educação, e disse que quer colocá-los dentro do mês de março. Os prefeitos perguntaram se podem assumir este compromisso [publicamente], falar que vão vacinar os professores em março, e ele pediu mais alguns dias para poder confirmar [a notícia], mas também disse que a intenção é esta: trazer a vacinação dos professores para março”, destacou.

Atualmente, fazem parte dos grupos de risco idosos, profissionais de saúde, indígenas que vivem em territórios tradicionais e portadores de necessidades especiais que vivem em instituições.

campograndenews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + 5 =