Após visitar o museu do Holocausto, Bolsonaro diz que nazismo é de esquerda – Web MS

Após visitar o museu do Holocausto, Bolsonaro diz que nazismo é de esquerda

Após visitar o museu do Holocausto de Israel, cujos estudos indicam que o nazismo foi um movimento de extrema-direita, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) endossou a posição de seu chanceler, Ernesto Araújo, e afirmou que o nazismo foi um movimento de esquerda.

Questionado na entrada de seu hotel, em Jerusalém, se concorda com a afirmação, Bolsonaro respondeu: “Sem dúvidas. É o Partido Nacional Socialista da Alemanha”.

Parceria com Israel “veio para ficar”, diz Bolsonaro

Neste terceiro e último dia de visita a Israel, Bolsonaro reafirmou que a parceira com o país “veio para ficar” e ouviu do primeiro-ministro que Israel “não tem limites” para contribuir com o Brasil.

O presidente foi questionado sobre a mudança da embaixada brasileira de Tel Aviv, onde a maioria dos países mantêm representação diplomática em Israel, para Jerusalém, disputada por israelenses e palestinos.

A expectativa era que Bolsonaro anunciasse a medida nesta viagem. Em vez disso, o presidente anunciou a abertura de um escritório comercial em Jerusalém. “Um grande casamento começa com namoro”, afirmou, sugerindo que os planos estão mantidos.

Na noite de ontem, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que acompanha a viagem do pai, disse que a mudança será feita “muito antes do final de seu mandato”.

Mais cedo, Bolsonaro participou do fórum Missão Comercial Brasil-Israel em Jerusalém ao lado do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e falou da nova parceria entre ambos países.

Quero passar uma mensagem de confiança, de novos tempos e novos horizontes. Estamos à disposição de quem quiser investir no Brasil e tenham a certeza de que serão bem recebidos, bem tratados e que poderão confiar em nosso trabalhoJair Bolsonaro

O presidente brasileiro também disse que o escritório anunciado carimba o compromisso entre os dois países e afirmou que essa relação “veio para ficar”.

Já o primeiro-ministro afirmou que Israel “não tem limites” para contribuir com o Brasil no âmbito da cibersegurança, agricultura, gestão da água e tecnologias da informação. “O céu é o limite”, disse o chefe de governo israelense.

Bolsonaro participa de seminário econômico

Band Notí­cias

Presidente voltará mais cedo ao Brasil

Na manhã de hoje, Bolsonaro ainda visitou a Unidade de Contraterrorismo da Polícia de Israel , onde realizou tiros ao alvo, acompanhado de seu filho mais velho, o senador Flávio Bolsonaro, e do ministro de Segurança Interna de Israel, Gilard Erdan. Depois, se encontrou com centenas de empresários brasileiros e israelenses que vivem no país.

Durante sua passagem por Israel, Bolsonaro também visitou o Muro das Lamentações acompanhado pelo premiê israelense, Benjamin Netanyahu – o que é considerado um gesto histórico. Tradicionalmente, presidentes não visitam o Muro acompanhados de autoridades de Israel, como forma de manter a equidistância do conflito israelo-palestino.

O presidente encurtou sua viagem e deve decolar rumo ao Brasil às 9h30 no horário local (3h30 do horário de Brasília). A chegada a Brasília está prevista para as 18h40. (Com informações da agência EFE)

uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *